Amai-Vos: conheça Alina Dörzbacher

A CAN CAN lançou essa semana a Coleção Amai-Vos, que aborda o poder feminino como uma forma importante de unir as mulheres. A coleção remete o empoderamento através do adorno para as mulheres se sentirem únicas e especiais do jeito que são.

Além disso, nesta edição convidamos para nossa campanha mulheres independentes e inspiradoras, com estilos de vida distintos e cheias de personalidade. Entre elas, Alina Dörzbacher que compartilhou com a gente um depoimento sobre sua vida e sua visão sobre o empoderamento feminino. Confira a seguir.

 

Alina usa: Chapéu Sireninha e Colar Sol de Gaudí criado pelo designer Victor Hugo Mattos.

 

ALINA DÖRZBACHER

“Perfil: modelo/atriz e travesti, típica libriana, ativista, guerrilheira afetiva, canhota, INFP. Sonhadora profissional,inteira natural e com 10 tatuagens. Amante de antúrios, erva mate tereré e felinos. Praticante das artes plásticas e do deboísmo, colecionadora de bijoux e vintage. Namoro pra casar y soy obcecada com o bem. My aesthetic goal é ser como as ninfas, fadas y sereias. Só dou role se for underground y cult ou na areia. Viciada em poesia, boa música, lanche e vinhos. Não corto meu cabelo há 8 anos por nada y por diversão canto em karaokês nas horas vagas.”

Pergunta:  Onde seu amor precisa resistir para existir?
ALINA: Já recebi muitos nãos e pude sentir o preconceito na pele…ser mulher trans é lutar por respeito e pela
 própria sobrevivência dia após dia… RESISTI a distúrbios alimentares, tentativas de suicídios, e desde muito
 pequena tentava não dar pinta pra não levar surra dos meus familiares, trocava brincar na rua por ficar colorindo
 em casa, assim eu também não apanhava. Sofri abusos sob cuidados dos meus primos,resisti incontáveis
 agressões durante todo o período escolar. Sofria transfobia todos os dias nas ruas antes de me tornar aceita,
 fui expulsa de lares de namorados e amigos, de banheiros públicos, e, hoje ainda, é preciso estar vigilante…Isso
 tudo só por existir, por andar, por viver, ser quem eu sou. Nossa existência incomoda, vivemos no país que mais
 mata a comunidade a qual faço parte. A liberdade custa caro, mas decidi pagar o preço. Eu escolhi me amar mais,
 escolhi seguir em frente mesmo com todas as dificuldades, escolhi perdoar todo mundo que me magoou, não por
 eles, mas por mim porque diferente de muitos O ÓDIO NÃO HABITA EM MEU CORAÇÃO.
Alina usa: Anéis Recife por Djaya Levy, Choker Djaya Levy e Arco Galaxy
Pergunta: De que forma você se sente quebrando padrões com seu estilo e comportamento atualmente?
ALINA: O meu corpo marginalizado quebra a norma por ser TRANSgressor. O meu corpo gera incômodo por exalar amor. O meu corpo incomoda porque ele insiste em existir e teima em RESISTIR. O meu corpo incomoda porque ele quebra a regra, sai da caixa e incomoda, porque vivo em liberdade pra viver de verdade a mulher que existe em mim.
Alina usa: FOTO 1 – Adereço Gaudí por Victor Hugo Mattos / FOTO 2 – Grampos Pérolas Love e Pente Riviera
Pergunta: Como você usa da sororidade para o empoderamento de outras mulheres através de suas atitudes?
ALINA: Eu espero ser luz, ser espelho, ser a que pavimentou o caminho de muitas que virão…Quero que a minha existência inspire e mostre que com ela todas nós podemos ocupar quaisquer espaços. TRAVESTI tudo pode e tudo conquista!

 

 Alina usa: Fascinator Godiva por Victor Hugo Mattos em parceria com a CAN CAN.
A coleção está disponível no nosso site -> cancanacessorios.com.br com peças exclusivas da nossa nova curadoria de peças de parceiros. Também na loja física em SP: Rua Artur de Azevedo, 381 em Pinheiros.
“Tempos difíceis exigem amor ao extremo.”
Com amor, Equipe CAN CAN <3